1. Cronograma

  • Leitura dos textos obrigatórios do Módulo 9
  • Atividade individual: Instalar o Tableau Desktop
a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a

2. Introdução

O objetivo desta aula é capacitar os estudantes a construir gráficos que possibilitem o exercício de Estatística Descritiva.

Para isso, é preciso duas providências prévias:

  1. Escolher uma base de dados para trabalhar. Pode ser alguma das bases coletadas, uma tabela baixada diretamente da estatística do stf ou uma base da nossa Bibliografia. Se você não tiver outras ideias, sugiro a base do artigo de leitura obrigatória.
  2. Instalar o Tableau Desktop.

Uma das principais ferramentas para formular estratégias metodologicamente adequadas é a estatística, disciplina voltada especialmente a criar mecanismos que permitam fazer afirmações sobre um conjunto de dados a partir de um pequeno subconjunto. Como não é viável fazer uma pesquisa eleitoral com todos os eleitores brasileiros que votam em uma eleição presidencial, a estatística permite reduzir o campo de análise a um subconjunto relativamente pequeno de eleitores, chamado de amostra.

A possibilidade de analisar um subconjunto  e inferir das características da amostra certas afirmações sobre o conjunto total dos objetos, interessa a muitas disciplinas. Porém, no caso da data science, muitas vezes temos acesso a todos os dados do conjunto, o que faz com que o grande desafio não seja o de inferir características do todo a partir de uma amostra (estatística inferencial), mas de formular explicações acerca dos padrões existentes no próprio conjunto de dados (estatística descritiva).

3. Leitura

3.1 Literatura Obrigatória

1: Amorim, Leonardo; Costa, Alexandre. Conceitos básicos de estatística descritiva. Dsd.arcos, 2020.

2: Costa, Alexandre A.; Costa, Henrique A. (2018). Evolução do perfil dos demandantes no controle concentrado de constitucionalidade realizado pelo STF por meio de ADIs e ADPFs. Revista de Ciências Sociais (UFC). , v.49,  2018. Desta vez, concentre-se nos gráficos e na base de dados, pois o texto já foi objeto de leitura obrigatória em outra oportunidade.

3.2 Leitura Complementar

Gomes Neto, Jose Mario Wanderley; Lima, Flávia Danielle Santiago (2016). EXPLORANDO “O MARAVILHOSO MISTÉRIO DO TEMPO”: As hipóteses de “perda de objeto” como evidência de virtudes passivas no Supremo  Tribunal Federal (STF). Anais do 10o Encontro da ABCP, Belo Horizonte.

Gomes Neto, Jose Mario Wanderley; Barbosa, Luis Felipe Andrade (2018). Autorrestrição líquida e certa: Mandados de segurança originários do STF prejudicados por perda superveniente de objeto. Anais do XXVII Encontro Nacional do CONPEDI, Salvador.

Gomes Neto, Jose Mario Wanderley e outros (2017). Litígios esquecidos: Análise empírica dos processos de controle concentrado de constitucionalidade aguardando julgamento. Revista de Estudos Empíricos em Direito, vol. 4, n. 2, jun 2017, p. 75-86